Apresentação

O projeto de montar um blog surgiu num simples almoço, em que discutíamos como poderíamos aproximar os nossos estudos acadêmicos com o que é ensinado nas salas de aula em todo o país. Como fazer isso de uma maneira menos cansativa e que atingíssemos um público amplo de alunos e amantes da história? A resposta certeira: Internet. Nos dias de hoje, as mídias e redes sociais são fortes instrumentos de divulgação de ideias e o blog foi o escolhido para ser a nossa principal fonte de divulgação.

Somos três historiadoras com pesquisas acadêmicas bem diferentes, mas com o objetivo de divulgar e trocar conhecimentos.

Leiam, compartilhem e comentem!

Ligia Fornazieri

Mestre em História Social do Trabalho, com pesquisa sobre a criação da Justiça do Trabalho no Brasil no período do Estado Novo. 

“Entre conflitos e debates: a criação da Justiça do Trabalho no Brasil (1934-1943)” http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000941204

Realiza trabalho como educadora em viagens pedagógicas, atuando como especialista em museus paulistas.

Bruna Borges

Mestranda em História Política na Unicamp, especialista em ditaduras civil-militares no Cone Sul. Sua pesquisa é voltada para a compreensão das políticas públicas de memória na construção de imagens cinematográficas no período ditatorial argentino.

Ana Carolina Machado

Doutoranda em História Cultural na Unicamp. Sua pesquisa atual está relacionada com a construção de memória e identidade nacionais do México do século XIX. Sua dissertação de mestrado foi voltada para o estudo da crise religiosa do período colonial mexicano do século XVI ao XVII.

“A ascensão da idolatria e a decadência da evangelização no século XVII : uma análise de crônicas da Nova Espanha”

http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000943906

É professora universitária de História da Arte e Arquitetura.

Esse post foi publicado em Brasil República. Bookmark o link permanente.

11 respostas para Apresentação

  1. Raquel disse:

    Acreditar que a educação é um dos instrumentos de mudança social é um grande desafio para os professores do terceiro milênio. Parabéns pela iniciativa! Aos 25 anos de magistério é com grande satisfação que “passeio” pelo blog e vejo que vale a pena acreditar que vale a pena lutar “por um novo tempo, onde a miséria e a opressão, não sejam mais que cicatrizes na HISTÓRIA”.
    Bjs,

    Raquel Funari

    • Raquel disse:

      Acreditar que a educação é um dos instrumentos de mudança social é um grande desafio para os professores do terceiro milênio. Parabéns pela iniciativa! Aos 25 anos de magistério é com grande satisfação que “passeio” pelo blog e vejo que vale a pena lutar “por um novo tempo, onde a miséria e a opressão, não sejam mais que cicatrizes na HISTÓRIA”.
      Bjs,

      Raquel Funari

      • Olá Raquel,
        Muito Obrigada pelo comentário e incentivo!
        A Educação é um instrumento fundamental para uma mudança social que nós tanto precisamos, mas além disso, nossa intenção é deixar a nossa História viva!! Nosso trabalho como professores é disseminar esse conhecimento, para que as futuras gerações sejam mais cidadãs!

        Bjs,
        Ana Carolina

  2. Andrea Toledo disse:

    Ana, Lígia e Paula! Parabéns pela iniciativa!
    Realmente a internet é uma maneira interessante e eficiente de se trabalhar a educação. Defendo e trabalho por isto sempre. Que bom encontrar na rede mais três pessoas com ideias semelhantes.
    Forte abraço e sucesso sempre.
    Andrea

  3. Leticia de Freitas disse:

    Olá meninas. Parabéns pela iniciativa! Achei a idéia do blog muito interessante e torço para que ele dê muitos frutos!! Que o ensino de História possa superar o “decoreba” e adentrar um mundo de maiores reflexões sobre nosso presente, nossa sociedade. Sucesso a todas! Beeijos

  4. Leo Nogueira disse:

    E aí pessoal. Vi a notícia do novo blog pelo Twitter da Maria Frô. Bela iniciativa e tudo de bom para vcs nesse desafio, para todos os que interagirem com o blog. Não se esqueçam da história da América Latina insurgente, da resistência, dos povos dessa imensa, colorida e diversificada Abya Yala.

  5. Claudia disse:

    Interessante o esforço de fazer um blog de história. Mas, não me levem a mal, a imagem selecionada para abrir o blog é simbólica, altamente impregnada de valores e um tanto óbvia, insinua uma certa falta de profundidade ou, até mesmo, de consciência histórica.

    A imagem fala por vocês antes do conteúdo ser lido, não é mera ilustração, imagem é texto, que teoriza e que situa o blog de maneira bem negativa, diga-se de passagem. Dá uma certa preguiça do blog de cara, não que eu não me proponha a ler e discutir o conteúdo em si. Enfim, mas uma imagem que faz uma referência direta a revolução francesa, a uma nação estrangeira assim na lata é por demais cansativo. Já vi esse filme, que saco, eu morro no fim!

    É como outros brasileiros fazendo blogs de “moda brasileira” ou “comida brasileira” com imagens de designers ou chefs franceses para tentar provar que apresentam conteúdo com qualidade ou seriedade suficiente, complexo de patinho feio? Imagens do Louvre a essa altura do campeonato? É triste. Que tal Canudos? Que tal carnavais, que tal intentona comunista que aniversaria? Ou uma simples imagem menos colonizada, lavadeiras, será? Menos lugar comum e mais história por favor.

    • Claudia,
      Obrigada pela visita e pelo comentário. É a partir deles que vamos aperfeiçoando e “tapando alguns buracos” que ficaram ao longo dos posts. Aproveitando, queremos esclarecer o porquê da escolha. Primeiramente, escolhemos porque simplesmente gostamos dela. Em segundo lugar, por ela ser exatamente uma imagem simbólica. O impacto que queríamos causar com a imagem era o de reconhecimento.
      A nossa cultura visual histórica tem essa imagem como referência, é quase impossível alguém que tenha estudado história em algum momento da vida que não tenha se deparado com essa imagem, assim o reconhecimento e a ligação com a história é imediato. Isso talvez não aconteceria com uma imagem sobre Canudos, por exemlo.
      Discordamos que ela insinue uma falta de “profundidade ou, até mesmo, de consciência histórica”. Por ela ter sido usada muitas vezes, é que adquiriu um significado histórico mais intenso. Você já parou pra pensar o por quê do uso dessa imagem em diversas referências sobre história? Essa é uma questão que desejamos trabalhar em nosso blog e essa imagem pode ser característica desse uso, já que, diferente do que acredita o senso comum, a pintura não foi realizada como homenagem à Revolução Francesa e sim à Revolução de 1830.
      Por todos esses motivos e por muitos outros que poderíamos comentar por muito tempo, acreditamos ser essa imagem uma imagem muito adequada e simbólica para aquilo que desejamos fazer em nosso blog.
      Ana Carolina, Ligia e Paula.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s