Monarquia Romana

Ana Carolina Machado de Souza
Assim como a sua fundação, o período monárquico romano foi marcado por lendas e mitos, suscitados pela escassez de documentação sobre o período.  Até cerca de 509 a.C. poucas são as informações vinculadas sobre a época, tão importante para a compreensão social romana posterior, durante a República e o Império.
Uma das lendas mais discutidas é a chamada “Rapto das Sabinas” que conta sobre as preocupações de Rômulo em povoar Roma. Com essa finalidade, passou a atrair povos estrangeiros com a promessa de que daria uma esposa para cada um. Para concretizar o que prometeu, ele organizou um jantar com um grupo de pessoas de um determinado povo, os sabinos, no intuito de distraí-los e roubar-lhes as mulheres. O mais importante nessa história toda é que se pode perceber a aliança entre sabinos e romanos nesses primeiros anos monárquicos. Outro ponto que se depreende dessa época, sem muitos registros documentados, é que após Rômulo houve seis reis em Roma, sendo latinos, sabinos e os últimos etruscos.
Na monarquia romana, apesar do rei possuir um grande poder, já havia um sistema legislativo, formado pelo Senado (Conselho de Anciãos), basicamente os patrícios* mais influentes na cidade, que limitava as funções do monarca em exercício. Também existia a Cúria, ou a Assembléia Curiata, e nesta estavam os patrícios adultos mais jovens, que validavam as decisões do Conselho.  Numa pirâmide social imaginária esses patrícios ocupavam o topo, logo seguidos pelos plebeus** na posição intermediária e na base estavam os escravos.

Pirâmide social

A partir do século VII a.C. reis de origem etrusca passaram a governar a cidade e o primeiro foi Tarquínio, o Antigo. Este período de governo etrusco foi marcado pelo início de grandes construções de infra-estrutura para Roma, e a separação da sociedade a partir da riqueza. Uma novidade marcante foi a criação de uma rede de esgoto, no reinado de Tarquínio, o Soberbo, chamada de “Cloaca Máxima”, que levava os dejetos até o Rio Tibre. A cidade possuía economia agropastoril com a maioria das terras concentrada nas mãos de poucos, uma história que se repete desde aquela época.

"Cloaca Máxima

O fatídico rei etrusco Tarquínio, o Soberbo, manifestou uma possível aliança com plebeus e clientes, classes mais baixas na sociedade, numa vontade maior de iniciar um governo despótico. Esta atitude atemorizou o Senado e a Cúria, que iniciou um processo de deposição do rei, concretizada em 509 a.C. Os ataques à cidade por parte de gauleses e gregos que vinham pela Sicília auxiliou o golpe ministrado pelos líderes patrícios. Outro fato que contam ter sido determinante para a ruína do governo foi o caso do filho do rei, Sexto Tarquínio, que levou Lucrécia, filha de um aristocrata e mulher de um conhecido patrício, ao adultério.

Tiepolo: Tarquínio e Lucrécia, c. 1750.

A partir desse momento o caminho estava livre, e a solução encontrada pelo Senado para substituir a monarquia foi a República e uma nova hegemonia nasceu, a patrícia. Devido a já mencionada falta  de documentos, este é um período que transita  numa atmosfera lendária, tornando os relatos dessa época um tanto quanto indefinidos, e suas afirmações devem ser ponderadas

__________
*Patrícios : membros da aristocracia rural.
**Plebeus: maioria da população, comerciantes, agricultores, pastores e artesãos. Eram basicamente homens livres, e dentre estes tinha a categoria dos Clientes, que viviam com os patrícios em troca da disposição de trabalho, principalmente nos ramos administrativo e militar.
Esse post foi publicado em História Antiga. Bookmark o link permanente.

29 respostas para Monarquia Romana

  1. vinicius disse:

    Aqui tem tudo que vc procura de um modo bem explicativo igual a como vc estuda na sala de aula

  2. TAYNÁ disse:

    ISSO TUDO ME AJUDOU MUITO

  3. sbrina disse:

    concordo tirei 10 no meu trabalho

  4. tassyele disse:

    bgd mto bom ajudo mto :>

  5. daniela disse:

    muito bom! eu to pesquisando monrquia romana trab de historia e ta td aqui
    obrigada

  6. MARIA EDUARDA disse:

    ISSO ME AJUDOU MUITO PARA A PROVA DE HISTÓRIA!

  7. LYLY disse:

    MUITO BOA ESSA EXPLICAÇÃO!!!

  8. nedlley serrate de souza silva disse:

    eu achei muitoooooo bom

  9. andressa disse:

    historia e uma coisa interecante eu gostei

  10. Daniela disse:

    muito interesante

  11. layza disse:

    Eu gostei meu trabalho e atrasado e como eu faço eu só copio tudo ? (

  12. otimo muito interesante com muitas gravuras e eu adorei…

  13. ai meus amigos no estudo bjs rsrs….

  14. AMANDA REBECA VERA CRUZ GUIMARÃES disse:

    ISSO VAI ME AJUDA PARA PROVA DE HISTORIA

  15. janaina disse:

    tudoo que eu quis teve aqui…………….

  16. luiz Guilherme disse:

    Estou estudado sobre Roma antiga, sobre os nobres é sobre República peninsular itálica.

  17. Teephy_N disse:

    isso Infelizmente Nao Me Ajudo😦

  18. pedro disse:

    A piramide social esta errada

  19. Agno disse:

    Poarr isso me deu respostar segura meu like fera

  20. FOI MUITO BOM PRA MIM ENTENDER MAIS

  21. Pingback: #84: A Ascensão de Roma | SciCast

  22. MayaM disse:

    achei bem louco u.u

  23. Pingback: Scicast #84: A Ascensão de Roma – Podflix - #SciCast - Podcast

  24. diegoqueres disse:

    Também é possível encontrar mais informações sobre este tema: Roma Monarquia no seguinte endereço: https://www.historiafacil.com.br/artigos/antiguidade/roma-fundacao-e-monarquia

    Abraços!

  25. Pingback: República Romana – Parte 1 | Historiando

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s